Enfrentando (e vencendo) desafios


Engana-se quem pensa que pessoas portadoras de algum tipo de deficiência são inválidas. Atualmente, elas estão inseridas no mercado de trabalho, esportivo e social. E, em Jundiaí, há mais de 10 anos um programa serve de suporte para quem quer praticar esportes, sem sofrer preconceito: o Peama – Programa de Esportes e Atividades Motoras Adaptadas.
O programa, existente desde 1996, nasceu com o intuito de incluir na sociedade as pessoas portadoras de alguma necessidade especial, por meio de práticas esportivas e recreativas. Segundo a professora Denise Silva Neves, coordenadora do Peama, pessoas com deficiências não são diferentes, sofrem das mesmas doenças que outras pessoas, e devem ter a mesma qualidade de vida que todos.
A professora ressalta que o importante é que os deficientes conheçam e aprendam a praticar esportes com o Peama. “Muitas pessoas não acreditam na própria capacidade de conseguir realizar as mais diversas ações”, explica. “Mesmo que a pessoa não continue no programa, ela veio e descobriu sua habilidade para a prática de atividades físicas”.
Enfrentando (e vencendo) desafios
Hoje, o programa conta com 250 alunos, que apresentam algum tipo de deficiência – física, intelectual, auditiva, visual e múltipla, e aceita alunos de Jundiaí e região. “Muitas vezes, o aluno vem de longe, pois na sua cidade não existe um incentivo como aqui”, diz Denise.
O aluno tem diversas modalidades para escolher: atletismo, ciclismo, caminhada, basquete, bocha, natação, futsal, goalball, capoeira, tênis, esporte-aventura, cicloturismo e dança. A mais antiga é o tênis de campo, mas de acordo com a coordenadora, a natação é a mais procurada.
Para influenciar e manter um convívio social, o Peama participa de competições externas, como os Jogos Para Pan-Americanos, que serão disputados em agosto, no Rio de Janeiro.
Os alunos do programa nem sempre competem apenas com pessoas com deficiência. “Em algumas competições, as pessoas estranham ao ver um deficiente participando”, conta Denise. “Em outras, tem gente que nem percebe, e acaba tratando nossos alunos como se fossem pessoas sem deficiência alguma.”
As aulas do Peama são realizadas no Conjunto Poliesportivo Dr. Nicolino de Lucca (Bolão). Mais informações pelo telefone 11-4521-6848.